Ir para o conteúdo

Prefeitura de Lourdes
Acompanhe-nos:
Rede Social Instagram
Rede Social Facebook
Legislação
ARRASTE PARA VER MAIS
INTERAÇÃO
Anotação
Marcação
BUSCA
Expressão
EXPORTAÇÃO
Código QR
Baixar
Compartilhar
COLABORE
Reportar Erro
QRCode
Acesse na íntegra
LEI Nº 434/1999, 21 DE SETEMBRO DE 1999
Alterada

LEI N. º 434/99


Dispõe sobre providências de prevenção e controle do tabagismo.


JOSÉ YOSIMASA EMOTO, Prefeito Municipal de Lourdes, Estado de São Paulo, no uso de atribuições legais:


Faz saber que a Câmara Municipal de Lourdes, aprovou e ele sanciona a seguinte Lei.


Art. 1º - O Município terá um Programa de Prevenção e Controle do Tabagismo, coordenado por um Conselho Municipal.


§ 1º - O Conselho Municipal de Controle do Tabagismo será criado pelo Poder Executivo, no prazo de 90 dias, com poder de fiscalizar e promoção dos objetivos desta lei.


§ 2º - O Conselho será composto por:


I – Presidente;

II – Vice-Presidente;

III – Secretário;

IV – Tesoureiro;

V – um representante do Poder Executivo;

VI – um representante do Poder Legislativo;

VII – um representante da Secretaria de Saúde;

VIII – um representante da Secretaria da Educação;

IX – um representante da Secretaria de Esporte e Turismo;

X – um representante da Secretaria de Cultura;

XI – representantes de outras entidades.


Art. 1º - O Município terá um Programa de Prevenção e Controle do Tabagismo, coordenado pela Divisão Municipal de Saúde. (Redação dada pela Lei n. º 473/00)


Art. 2º - As ações antitabagísticas deverão ser integradas nos programas de saúde pública municipal, especialmente a nível de atenção primária das unidades básicas de saúde.


Art. 3º - As ações educacionais antitabagísticas deverão ser efetivadas em todos os setores da comunidade.


Art. 4º - O Município induzirá no seu calendário oficial duas efemérides sobre o tabagismo: uma no dia 31 de maio, Dia Mundial sem Tabaco e outra no dia 29 de agosto, Dia Nacional de Controle ao Fumo; na semana que anteceder aquelas datas, o Município promoverá uma campanha, visando alertar a população para os malefícios advindos com o uso do fumo.


Art. 5º - Para preservar a qualidade do ar que se respira nos ambientes, a saúde dos não fumantes e dos próprios fumantes, esta lei determina que não se pode fumar (cigarro, cigarrilhas, charutos, cachimbos e demais produtos do fumo) em ambientes fechados de uso público de qualquer espécie. Consequentemente, só é permitido fumar em ambientes abertos que não contrariem a lei.


Parágrafo Único – Neste artigo ficam incluídos os locais abertos em que haja concentração pública (estádios de futebol, recinto escolar, assembléia, entre outros), bem como os que, por natureza, são vulneráveis a incêndio ( posto de distribuição de combustível e outros materiais de fácil combustão).


Art. 6º - A fixação de avisos indicativos desta determinação, em local visível, é obrigatória. Os seguintes dizeres poderão ser utilizados, com indicação do número da presente lei, de acordo com a circunstância:


“É proibido fumar”


“É proibido fumar neste local”


“Não fume”


“Não fume, material inflamável”


Parágrafo Único – Os avisos deverão ter o tamanho mínimo de 50 cem x 30 cm.


Art. 7º - O Município não firmará contratos e/ou convênios de propaganda dos produtos do tabaco, inclusive com empresas fabricantes ou distribuidoras de tabaco. O mesmo se aplica aos permissionários e/ou concessionários de próprios municipais.


Art. 8º - Fica proibida a venda de cigarros, cigarrilhas, charutos, cachimbos e demais produtos do fumo a menores de 18 (dezoito) anos.


Art. 9º - Para efeitos desta lei consideram-se infratores os fumantes e os responsáveis pelos ambientes fechados. Os fumantes sujeitam-se à multa de 10 (dez) UFIR – Unidade Fiscal de Referência, vigentes na data da autuação e os responsáveis pelos ambientes fechados sujeitam-se à multa de 30 (trinta) UFIR para que se tornem os primeiros interessados pelo cumprimento desta Lei. A multa será cobrada em dobro, em triplo e assim sucessivamente, na reincidência.


Art. 10 – A autuação para o cumprimento desta lei compete aos órgãos incumbidos da fiscalização no Município.


Art. 10 – A autuação para o cumprimento da Lei 434, de 21 de setembro de 1999, compete aos órgãos incumbidos da fiscalização no Município e a arrecadação oriundas das taxas de multas serão creditadas ao Fundo Municipal de Saúde. (Redação dada pela Lei n. º 473/00)


Art. 11 – As despesas decorrentes com a execução desta lei correrão por dotações orçamentárias próprias, suplementadas se necessário.


Art. 11 – As despesas decorrentes da execução da Lei 434, de 21 de setembro de 1999, correrão por conta de dotações do Fundo Municipal de Saúde, suplementadas se necessário.


Art. 12 – Esta Lei entrará em vigor na data de sua publicação, revogada toda legislação anterior sobre tabagismo.


Lourdes-Sp, 21 de Setembro de 1999.


JOSÉ YOSIMASA EMOTO

PREFEITO MUNICIPAL


Publicada por afixação em lugar público e de costume, registrada nesta Secretaria na data supra.


Eliete Regina Rezende de Alcântara

Secretário Municipal


* Nota: O conteúdo disponibilizado é meramente informativo não substituindo o original publicado em Diário Oficial.
Minha Anotação
×
LEI Nº 434/1999, 21 DE SETEMBRO DE 1999
Código QR
LEI Nº 434/1999, 21 DE SETEMBRO DE 1999
Reportar erro
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Seta
Versão do Sistema: 3.2.8 - 16/11/2022
Copyright Instar - 2006-2022. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia